fevereiro 26, 2024 03:23

Depoimento de Moro não implica o presidente, acreditam alguns bolsonaristas do AM

spot_img

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Amazonas minimizaram a divulgação do teor do depoimento do ex-ministro Sergio Moro, nesta quarta-feira, 6, e, afirmaram que não foi imputado nenhum crime ao presidente. “O depoimento dele demostrou muito mais falta de alinhamento entre as partes envolvidas do que propriamente problemas institucionais ou, até mesmo, falhas graves por parte do presidente. Isso em momento algum foi detalhado pelo ex-ministro”, disse o deputado estadual delegado Péricles (PSL).

Para o deputado federal capitão Alberto Neto (Republicanos), o que tem ali são “conversas do presidente com o seu ministro”. Segundo ele, não quer dizer que todas as coisas vão se concretizar.

“O ministro está ali para orientar o presidente de como agir, de como proceder e vazar esse tipo de conversas que são, que ainda estão em processo, não são conversas decisivas, que estão ainda em fase de tramitação, de negociação, de assessoramento, eu vejo que o ministro Sergio Moro, na minha visão ainda que eu não tenha visto todo o depoimento dele, mas não se mostra apresentando nenhum crime que o presidente cometeu”, argumentou o bolsonarista.

Na visão de Alberto Neto, o presidente da República é responsável por nomear o diretor da Polícia Federal, então, se ele estava “forçando para nomear A, B ou C, ele está dentro da lei”. “O presidente não comete nenhum tipo de crime. Então se o ministro Moro não apresentar provas contundentes de algo ilícito, infelizmente o ministro sai fragilizado nesse processo e o presidente fez o que dentro do arcabouço legal, não fez nada de ilegal”, analisa o deputado.

A reportagem de O Poder procurou outros políticos bolsonaristas no Amazonas para repercutir o teor do depoimento de Moro, a exemplo do presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Josué Neto (PRTB), o vereador Chico Preto (DC), os deputados federais delegado Pablo (PSL) e Silas Câmara (Republicanos), sem sucesso.

Crime de responsabilidade

Mas, para o analista político Carlos Santiago, a divulgação deste depoimento poderá reforçar os pedidos de impeachment (afastamento) de Bolsonaro. Mais de 30 pedidos desta natureza já foram protocolizados na Câmara dos Deputados.

“O juiz Sérgio Moro pode ter colocado o presidente em uma situação muito complicada. Alguns pontos citados no depoimento apontam para crime de responsabilidade e isso poderá acarretar, caso seja comprovado, em novos pedidos de impeachment contra o presidente”, reforçou o especialista.

Para Santiago, é um tipo de inquérito que começou explosivo e poderá impedir a continuidade do mandado. “Na medida em que expôs o presidente, mas, também os relatos que mostram que o presidente pode ter cometido vários crimes de improbidade. Isso, pode ser elemento para jogar muito mais combustível nos pedidos de afastamento e acirrar a disputa política no país”, finaliza o especialista.

 

 

Henderson Martins, para O Poder

Colaborou Álik Menezes

Foto: Divulgação

Últimas Notícias

“Devemos passar uma borracha no passado” diz Bolsonaro em ato.

Lideranças da direita brasileira e os apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro, que é investigado por tentativa de golpe entre...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!