junho 19, 2024 09:13

Governo estuda nova mudança no comando da Susam, mas teme piorar crise institucional

spot_img

Com 44 dias à frente da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), desde que assumiu a pasta em 8 de abril, com recomendação que seja afastada do cargo pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e respondendo a várias denúncias e críticas pela gestão incipiente da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus – inclusive foi uma vítima da doença – a secretária Simone Papaiz pode estar com os dias contados à frente da pasta.

Informações que chegaram ao O Poder apontam que o governador Wilson Lima (PSC) já considera a possibilidade de trocar a secretária, mas quer evitar turbulências após a saída repentina do vice-governador, Carlos Almeida Filho (PTB), da Casa Civil.

Conforme uma fonte palaciana, Papaiz já seria considerada “carta fora do baralho”. No entanto, Lima não quer agravar a crise em seu governo, externada nesta pandemia do coronavírus e, em um momento em que atravessa um processo de impeachment e uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Saúde, na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

Caso confirme a mudança, deverá ser a terceira troca feita pelo governador Wilson Lima desde o início de sua gestão. Pela Susam já passaram o vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho, o pesquisador da Fiocruz Amazônia Rodrigo Tobias e, por último seria a biomédica paulista, Simone Papaiz.

Em março de 2019, Wilson Lima trocou o vice Carlos Almeida da Susam para a Casa Civil. Dessa forma, o comando da pasta da saúde foi direcionado para Rodrigo Tobias, que também foi substituído em abril deste ano por Simone Papaiz.

Ainda na Susam, Wilson Lima resolveu substituir em abril deste ano, a secretária-executiva da Capital, Dayana Mejia por Ítalo Cortez.

A reportagem procurou a Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) para confirmar estas informações, mas a pasta preferiu não comentar.

Trocas

Desde o início do governo, Wilson Lima vem apresentando dificuldades em manter nomes nos comandos de grandes pastas, como na Educação, que também já teve três mudanças, iniciada por Luiz Castro (Rede), que deixou o comando da secretaria em agosto do ano passado.

Com a saída de Luiz Castro, Vicente Nogueira assumiu o comando da pasta em setembro do ano passado e ficou até dia 31 de janeiro deste ano. Ao deixar a Secretaria de Educação (Seduc), o secretário-executivo da pasta, Luiz Fabian, foi oficializado como novo titular da pasta.

Além da Seduc, Wilson Lima também já fez mudança Controladoria-Geral do Estado, em outubro do ano passado, quando nomeou o promotor de Justiça Otávio Gomes em substituição a Alessandro Moreira Silva, que deixou o comando da autarquia.

Exoneração

A última mudança no governo do Estado ocorreu no início desta semana com o pedido de exoneração do vice-governador Carlos Almeida Filho da Casa Civil.

Com a saída de Almeida, ao menos três nomes disputam atualmente o comando da pasta, entre eles, o diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), Flávio Antony, o ex-defensor-geral do Estado, Rafael Vinheiro e o ex-secretário de Cultura de Estado Robério Braga.

 

 

Henderson Martins, para O Poder

Foto: Montagem

Últimas Notícias

Portaria divulga valores para acerto de contas do piso da enfermagem

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) informa que, após quase um ano, o Ministério da Saúde publicou a Portaria...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!