junho 17, 2024 16:46

Eleições 2020: O impacto do coronavírus na pré-campanha eleitoral

spot_img

A pandemia do novo coronavírus, que já contaminou mais de 1 milhão de pessoas e matou 65 mil em todo o mundo até este domingo, 5, já apresenta reflexos nas Eleições 2020 em Manaus e no interior do Amazonas e terá um impacto direto neste período de pré-campanha eleitoral, independente se o pleito for adiado ou não.

Em entrevista para O Poder, especialistas comentam as adaptações que aspirantes neste pleito terão que fazer em suas campanhas de forma a não ter “prejuízos” na disputa.

O advogado e cientista político Carlos Santiago destacou que o foco no combate ao Covid-19 esfriou o clima de pré-campanha, lembrando ainda que o foco da mídia está distante da cobertura pré-eleitoral. Para Carlos, o maior aliado do candidato serão suas redes sociais.

“Todo foco da mídia está direcionado para a cobertura das ações contra o vírus. A legislação eleitoral vigente autoriza os postulantes e os partidos políticos a se movimentarem, nesse período pré-eleitoral, só não liberou o pedido explícito do voto. Portanto, já existe um prejuízo que poderá ser ‘compensado’ com a utilização das redes sociais e o impulsionamento das páginas dos pré-candidatos como estratégia de comunicação com o eleitor”, disse Santiago.

Apesar do preocupante cenário criado pela pandemia de coronavírus, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), garantiu que segue cumprindo com o calendário, sem alterações. Alguns representantes políticos já pedem a alteração nas datas da eleição, para Carlos Santiago a mudança pode causar prejuízo.

“As eleições são momentos únicos num país democrático em que o povo avalia, elege ou reelege os seus representantes e seus governantes. Adiar as eleições seria um prejuízo a sociedade e o enfraquecimento da democracia”, disse o cientista político.

‘Era digital, o pulo do gato’

O marqueteiro político Marcos Martinelli ressalta também que a “Era Digital” será ainda mais importante para as eleições deste ano, modificando todas as estratégias aplicadas em 2018, “ano das grandes surpresas e de desespero e encolhimento dos grandes partidos”, destacou.

“Para um correto posicionamento no tabuleiro das eleições 2020, mantidas no prazo atual ou adiadas, os políticos têm pouco tempo para sintonizar seus discursos e ações às novas e claras demandas populares por serviços de qualidade, tudo acompanhado em tempo real. Com este novo cenário confuso e participativo como nunca, discutido online, com nervos à flor da pele, a campanha, já começou”, diz Martinelli.

As convenções partidárias, onde serão escolhidos e ratificados os candidatos majoritários e as chapas proporcionais acontecerão, se nada mudar, entre julho e agosto, mas até lá, pretensos candidatos, tanto a prefeito quanto a vereador, têm usado e abusado de suas redes sociais como forma de se manterem ativos, lembrados e conhecidos, neste momento que o contato direto com o povo, o corpo a corpo e as reuniões comunitárias e de base estão suspensos.

 

Ericles Albuquerque, para O Poder

Foto: Divulgação

 

Últimas Notícias

MP para salvar Amazonas Energia terá impacto de 0,4% na tarifa média no País

A solução endereçada à Amazonas Energia já foi testada durante a privatização da empresa em 2018 e o consumidor...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!