julho 13, 2024 10:02

Professores denunciam Semed pelo atraso da ‘carga dobrada’: ‘estamos passando fome’

spot_img

Professores da rede municipal de ensino voltaram a denunciar o atraso do pagamento da carga dobrada pela Secretaria Municipal de Educação (Semed). Devido a esta situação, educadores relataram ao O Poder que estão passando fome e com diversas contas em atrasos. Os valores pagos pela prefeitura, previamente acertado em acordo com os educadores, incrementavam a renda no final de cada mês.

Um professor, que pediu anonimato por medo de represálias, disse ao O Poder que a secretária municipal de educação, Kátia Helena Schweickardt, confirmou que os valores em atraso seriam pagos até o final do mês de abril, mas, que até agora, pagaram apenas 15 dias trabalhados do mês de fevereiro. O educador já bastante emocionado, disse que ele, assim como outros professores, está passando fome e com dívidas por conta dos atrasos.

“Ligamos para lá e eles nos informam que irão abrir uma folha extra, que saiu na segunda, 4, mas, nela, só havia o pagamento de 15 dias do mês de fevereiro. A Semed não deu certeza sobre os pagamentos. Eles descumprem até o que publicam no Diário Oficial, pois, chegaram a informar que pagariam no dia 5 de fevereiro e 30 de março, mas, nada foi pago”, ressaltou o professor.

Conforme este educador, a categoria queria, ao menos, um posicionamento por parte da Prefeitura de Manaus, se haverá ou não o pagamento das horas dobradas dos educadores municipais. Ele informou que mesmo não trabalhando em sala de aula, a categoria vem trabalhando três vezes mais que o normal.

“Sem contar que quando eles atrasam os pagamentos, e pagam o acumulado, a Receita leva tudo em imposto”, disse o professor.

Outra situação que vem preocupando os professores é um oficio do Ministério Público de Contas (MPC), que recomenda que seja cessado o pagamento da vantagem de “classe dobrada” aos profissionais do magistério público que a recebem.

Ameaças

Outra professora que não quis se identificar, também por medo de represálias, reafirmou o pagamento apenas do mês de fevereiro e disse os educadores chegaram a receber um documento com tom ameaçador, de que seriam retirados do trabalhadores das horas dobradas, os que não se enquadrassem conforme determinações da Secretaria de Educação.

“Esse sistema de hora dobrada é estabelecido em um acordo verbal, entre o professor e o gestor da escola, que apresenta os nomes para Semed e passam a atuar com horas dobradas, logo, eles podem tirar os professores a hora que querem, sem justificativa alguma”, ressaltou a professora.

A educadora reforçou, ainda, que as pessoas que receberam os pagamentos na segunda-feira, tiveram diverso descontos, o que não compensou os meses em atrasos, uma vez que os professores estão com contas em atrasos com multas e juros.

Pagamento sai dia 11

A  reportagem procurou a Semed para questionar sobre as denúncias e, em nota, a secretaria respondeu que os pagamentos das cargas dobradas referentes aos meses de janeiro e fevereiro serão pagos na próxima segunda-feira, 11.

Já o pagamento referente ao mês de março será efetuado no final de maio e o de abril no pagamento de junho.

 

 

Henderson Martins, para O Poder

Foto: Divulgação

Últimas Notícias

DNIT recupera trechos da BR-319 enquanto não sai a liberação ambiental

Uma boa noticia para o Amazonas foi confirmada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) que anunciou diversas...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!