junho 19, 2024 09:20

Com mil mortes pela Covid-19, governo decreta luto oficial e vai anunciar medidas mais restritivas

spot_img

Com mais de mil mortos em decorrência da Covid-19, alcançados neste domingo, 10, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), decretou luto de três dias no Estado. Ele também adiantou que nesta terça-feira, 12, se reunirá com representantes dos demais poderes e órgãos de controle para definir medidas mais rígidas de isolamento social.

A expectativa é que o governo recue no propósito de flexibilizar o isolamento social, previsto para acontecer a partir da próxima quarta-feira, 13, e estenda as medidas restritivas em todo o Estado.

Segundo Wilson Lima, o estudo encomendado pelo governo do Amazonas indica que o estado já atravessava o pico de casos de Covid-19 no início de maio. Também aponta a necessidade de análise do comportamento da curva de incidência, o que vem sendo feito para avaliar, inclusive, possibilidade de um repique de casos.

“Ontem nós ultrapassamos a casa de mil mortos aqui no Amazonas. Hoje o governo do Estado está decretando luto oficial de três dias e bandeiras a meio mastro, lamentando essas mortes que foram ocasionadas pelo coronavírus. Amanhã estarei reunindo com os poderes, com a indústria e o comércio para a gente reavaliar a possibilidade de estabelecermos medidas mais restritivas, porque quanto maior for o isolamento, mais rápida há a possibilidade da gente sair dessa situação e retomar a nossa rotina”, frisou.

No boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Sanitária (FVS) deste domingo, 12, além de ultrapassar a marca de mil mortos, o Estado chegou também a 12.599 infectados pelo novo coronavírus.

Providências

Em entrevista a uma emissora de TV nesta segunda-feira, 11, o governador ressaltou que o Estado vem se preparando para enfrentar o aumento de casos de síndromes respiratórias desde novembro de 2019, quando a FVS-AM apontava tendência de crescimento de casos principalmente por conta do período chuvoso no Amazonas.

“Nós colocamos para funcionar aqui um hospital que só funcionava com 30% da sua capacidade. Dos 350 leitos que tínhamos aqui, apenas 130 estavam em funcionamento, e nós colocamos esse hospital para funcionar com toda a sua totalidade, que é o Delphina Aziz, é referência para o atendimento da Covid-19. Então só lá nós abrimos mais de 200 leitos, incluindo leitos de UTI e leitos clínicos”, detalhou.

Ele também destacou a abertura do Hospital de Combate à Covid-19, na Universidade Nilton Lins. “Nesse hospital já temos algo em torno de 100 leitos, sendo 16 UTIs e os outros clínicos, e com capacidade de aumentar até 400, de acordo com o retorno que a gente tiver do Governo Federal para a aquisição de respiradores e contratação de profissionais”, destacou o governador em entrevista.

 

 

 

Da Redação O Poder

Com informações da Secom

Foto: Secom

Últimas Notícias

Portaria divulga valores para acerto de contas do piso da enfermagem

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) informa que, após quase um ano, o Ministério da Saúde publicou a Portaria...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!