maio 21, 2024 10:53

Ainda sem titular, governador Wilson Lima busca um novo chefe para a Casa Civil

spot_img

Logo após formalizar sua exoneração da Casa Civil, por meio de uma carta, o vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho (PTB), saiu sem se despedir da equipe na pasta na qual ocupou por mais de um ano. Já à noite, uma reunião aconteceu com todos os servidores, onde foi apresentado o nome de Lourenço Braga Júnior, como chefe interino da pasta até que o governador nomeie um outro titular.

Informações que chegaram ao O Poder nesta terça-feira, 19, são de que Lourenço Braga Júnior não irá responder de forma definitiva pela Casa Civil, que o Governo do Amazonas está avaliando alguns nomes para comandar a pasta.

Ainda nesta terça, ao menos quatro nomes foram ventilados, entre eles, do marido da secretária de Administração, Inês Simonetti, o advogado José Alberto Simonetti, além do nome do cunhado dela, o também advogado Alberto Simonetti Neto e do atual diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), Flávio Antony, além do nome do ex-secretário de Cultura, Robério Braga.

Deselegante

Conforme informações obtidas pelo O Poder, momentos após pedir exoneração, uma força-tarefa foi criada para retirar as coisas da antiga sala de Carlos Almeida Filho para levar até a vice-governadoria. O vice-governador saiu da Casa Civil sem cerimônia de despedida e foi tachado por alguns servidores como “deselegante”.

Equipes de segurança

No comando da Casa Civil, Carlos Almeida dispunha de duas equipes de segurança, com ao menos 8 policiais militares. Não se sabe se com a saída do cargo, será mantido o número de segurança pessoal, uma vez que na vice-governadoria, os cargos são ‘limitados’.

Ainda sobre equipe de segurança, Carlos Almeida dispunha de uma equipe que ficava nos dias de segunda, quarta e sexta e outra que foi intitulada por pessoas próximas a ele de “semana das loiras”, que era uma equipe de segurança pessoal composta por duas policiais militares consideradas “belas loiras”, que se revezavam nos dias de terça, quinta e sábado.

Sem benefícios

Apesar de o governo do Amazonas anunciar que o vice-governador, Carlos Almeida, deixou a Casa Civil para cuidar de projetos ‘estruturantes do Governo’, informações extraoficiais colhidas pela reportagem é que ele ficará apenas no cargo de vice sem ter uma equipe adicional.

Após sua saída, a Secretaria de Comunicação (Secom) informou que Carlos Almeida se dedicará a projetos estruturantes no Governo, alguns deles iniciados ainda no seu trabalho frente à Casa Civil, como programas na área de moradia popular.

Carta

Em sua carta de exoneração, Carlos Almeida disse que “personagens tão ou mais perigosos se encontram em todos os lugares, às vezes, até mesmo dentro nosso próprio barco”.  Que seu papel, enquanto homem público, preocupado em fixar mais um tijolo na construção de um Amazonas melhor, “foi sempre de blindar meu Estado contra esses Espectros, alertando-lhe, sempre, dos caminhos a serem seguidos, para não tombar nos rochedos”, frase essa que fez com que a oposição na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), pedisse que o vice-governador apresentasse nomes desses ‘personagens perigosos’.

Ao finalizar a carta, Carlos Almeida disse que não está com a mão no timão e, que, já exauriu todas as forças de remar forte no sentido oposto de muitos.

 

 

 

Henderson Martins, para O Poder

Foto: Secom

Últimas Notícias

Relatório final da CPI da Braskem é aprovado

Foi aprovada, na manhã desta terça-feira, 21, no Senado Federal, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Braskem. O...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!