maio 28, 2024 12:33

Wilson Lima e Omar Aziz prestigiam abertura de conferência de Ciência, Tecnologia e Inovação

spot_img

A abertura da etapa Norte da 5ª Conferência Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação, organizada pelo ministério da área, foi realizada nesta quinta-feira, 18. O evento contou com a presença da ministra Luciana Santos, que comanda a pasta sobre o tema no Governo Federal e responsável pelo evento, do governador Wilson Lima (UB), do senador Omar Aziz (PSD), do reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), André Zogahib, do secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, e de outras autoridades

O evento reúne representantes da sociedade civil, empresários e agentes públicos para discutir e estabelecer as políticas públicas que deverão ser prioridades para a região Norte nos próximos dez anos, marcando um impulso para o desenvolvimento científico e tecnológico em todo o Brasil. A programação ocorre, até sexta-feira, 19, no auditório da Escola Superior de Tecnologia da UEA (EST/UEA), localizada na Avenida Darcy Vargas, bairro Chapada, zona centro-sul de Manaus.

“É muito especial essa vinda aqui na região Norte, em particular do estado do Amazonas e discutir o impacto que essa região tem para o Brasil e para o mundo, ainda mais quando nós estamos vivendo o fenômeno do aquecimento global. E a ciência, tecnologia e inovação, dialoga objetivamente com esses desafios porque não há como se enfrentar aspectos do dia a dia e dos desafios que não seja através da pesquisa do desenvolvimento e dos investimentos de inovação”, disse a ministra Luciana Santos.

Durante o evento, foi apresentado detalhes sobre o ‘Plano Ennio Candotti Para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia’, com investimentos estratégicos no valor de mais de R$ 56 bilhões nos próximos quatro anos.

O plano apresentado pela ministra prevê uma distribuição mais equitativa de recursos, destinando 30% dos investimentos para projetos nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com uma contrapartida financeira menor, compensando a realidade regional dessas áreas. Um dos destaques do plano é o aporte de R$ 3,4 bilhões até 2026 para a infraestrutura de pesquisa em inovação, segurança alimentar e outras ações na Amazônia. Todos os recursos devem ser provenientes do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), que no governo passado sofreu com o corte de mais de R$ 10 bilhões.

Amazonas deve investir cerca de R$ 1 bilhão em Ciência, Tecnologia e Inovação até 2026

O governador Wilson Lima afirmou, nesta quinta-feira, 18, que o Governo do Amazonas deve investir cerca de R$ 1 bilhão em Ciência, Tecnologia e Inovação até 2026. 

“Desde 2019 até agora nós já investimos algo em torno de R$ 600 milhões e, até 2026, o investimento do governo do estado será de algo em torno de R$ 1 bilhão em ciência, tecnologia e inovação. Isso faz com que o Estado do Amazonas esteja muito bem colocado dentre os institutos de ciência e tecnologia não só do Brasil, mas também do mundo”, disse o governador.

De acordo com o titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Serafim Corrêa, as Conferências de CT&I, suspensas há 14 anos, representam um marco para este ano e vão propor recomendações para a elaboração da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) 2024-2030.

“Nós ficamos quase um século totalmente fora do contexto nacional, internacional e do contexto mundial. Voltamos a ter alguma esperança com a zona franca de Manaus, mas nós não podemos ficar no único modelo. Nós precisamos nos dedicar, via ciência, tecnologia e inovação, bioeconomia, biodiversidade, produzir fármacos, investir na mineração sustentável, enfim, tomar os caminhos que a ciência nos recomenda”, afirmou Serafim.

Omar destaca investimentos em ciência e tecnologia para impulsionar desenvolvimento sustentável da Amazônia

“Temos hoje inúmeros produtos regionais que poderiam estar na prateleira dos consumidores e, por causa da Zona Franca, já teríamos muitos recursos para fomentar o CBA (Centro de Bioenegócios da Amazônia) e muitas dessas pesquisas. A Amazônia não depende de desmatamento para se desenvolver, o que vai gerar renda é o conhecimento na região. Temos vários institutos que estão tentando aos trancos e barrancos produzir algo que retorne para as comunidades”, pontuou Omar.

O maior aporte anunciado pela ministra Luciana Santos na conferência, é a destinação de R$ 41 bilhões até 2026 para a indústria brasileira, por meio de créditos de subvenção econômica e instrumentos de estímulo à inovação das empresas. Outros R$ 8 bilhões serão investidos no mesmo período em seis projetos estruturantes em universidades e instituições de pesquisa em todo o País.

As decisões tomadas durante a conferência regional serão encaminhadas para a etapa nacional, a 5ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que acontecerá de 04 a 06 de junho, no Espaço Brasil 21, em Brasília (DF).

 

Da Redação com informações das assessorias de imprensa 

Fotos: Alex Pazuello e Diego Peres/Secom; Pablo Brandão/assessoria Omar Aziz e Redes Sociais 

Últimas Notícias

TCE-AM desfaz próprio ato e libera Durango para gastar R$ 19 mi em publicidade na prefeitura

O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) desfez o próprio ato. O órgão judiciário aceitou uma Representação...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!