março 4, 2024 23:55

Amparados por seguranças da CMM, Chico Preto e Gilvandro Mota quase vão às vias de fato

spot_img

Por muito pouco, os vereadores Chico Preto (DC) e Gilvandro Mota (PTC) quase foram às vias de fato no plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM), na manhã desta terça-feira, 17. Chico Preto chegou a chamar Gilvandro de “canalha” e os parlamentares tiveram que ser separados por seguranças.

A discussão começou quando Gilvandro Mota, que é governista, sugerir que Chico Preto, líder da oposição na casa, poderia ter ligação com um homem envolvido em um suposto esquema de desvio de asfalto da Prefeitura de Manaus. A denúncia foi apresentada pelo próprio vereador Chico Preto na sessão de segunda-feira, 16. Em um vídeo apresentado pelo parlamentar, é possível ouvir o homem dizer: “Eu conheço você, já almocei com você”.

Gilvandro usou essa parte do vídeo para atacar Chico Preto, que respondeu e partiu em direção do colega parlamentar.

Já com os ânimos calmos, Chico Preto tomou a palavra e disse que não gosta de canalhice. “Canalhice é o cidadão que desvirtua o que está sendo proposto em função de uma declaração da pessoa que está cometendo o possível ilícito por falar que almoçou comigo. O cara almoçou comigo em 2018, em um almoço comunitário, e isso está o alvo para que se consiga a derrubada do requerimento”, disse o parlamentar.

Na segunda-feira, Chico Preto apresentou à mesa diretora da Câmara, o Requerimento 400/2019, que pede esclarecimentos da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) acerca de um possível uso da estrutura da prefeitura no asfaltamento de uma área privada no Distrito Industrial, Zona Sul da cidade.

Segundo o oposicionista, já existe uma articulação entre os vereadores de apoio a Arthur Neto para derrubar o requerimento que busca esclarecer a suspeita de desvio de material público. “Eles querem jogar para a responsabilidade da Seminf, mas, a secretaria não vai encontrar nada. Assim como a prefeitura não encontrou crime nenhum na questão do Alejandro Valeiko, não encontrou crime de conduta de ninguém”, ironizou o vereador.

Após a discussão, Gilvandro Mota deixou o plenário da Câmara municipal.

 

Henderson Martins, para O Poder

Foto: Montagem/Hariel Fontenelle

Últimas Notícias

Projeto de Caio André que beneficia atletas de jiu-jítsu avança na CMM

O Projeto de Lei nº 145/2023, que busca isentar a taxa de inscrição em eventos esportivos para atletas praticantes...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!