junho 17, 2024 16:00

Primeira reunião do Conselho da Amazônia vai ser por videoconferência

spot_img

Devido aos crescentes casos do coronavírus (Covid-19) no país, a primeira reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal vai acontecer por meio de videoconferência nesta quarta-feira, 25. A reunião será em Brasília e vai reunir os 14 ministros do governo Bolsonaro, onde irão debater implementação das políticas públicas relacionadas à Amazônia Legal.

A reunião acontece às 10h, horário de Brasília, no Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) e será conduzida pelo presidente do Conselho, vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão.

Mourão afirma que está comprometido com a proposição ao presidente Jair Bolsonaro de ações efetivas e com a divulgação de informações verdadeiras e oportunas que esclareçam a opinião pública nacional e internacional sobre o que realmente se passa na Amazônia brasileira.

“Também com a implementação de uma política de Estado que enfrente os desafios que ali se colocam ao Brasil, melhorando as condições de vida da população local pelo desenvolvimento sustentável da região que haverá de repercutir no desenvolvimento do País como um todo”, ressaltou o vice-presidente.

Conforme ele, diversas iniciativas, em âmbito federal, como a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), a Zona Franca de Manaus (ZFM) e o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), e mais recentemente, por parte dos governadores da região, com o Consórcio dos Estados da Amazônia, têm por objetivo implementar políticas públicas adequadas a uma região que se caracteriza pela imensidão territorial, desarticulada do restante do país, com baixos PIB, IDH e densidade demográfica, exposta à cobiça e ao crime transnacional.

O Conselho da Amazônia foi criado pelo presidente Bolsonaro em 11 de fevereiro deste ano por meio do Decreto N° 10.239.

 

Henderson Martins, para O Poder

Com informações da assessoria da vice-presidência

Foto: O Globo

Últimas Notícias

MP para salvar Amazonas Energia terá impacto de 0,4% na tarifa média no País

A solução endereçada à Amazonas Energia já foi testada durante a privatização da empresa em 2018 e o consumidor...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!