fevereiro 26, 2024 04:04

Uso do ‘cotão’ pela bancada federal do AM registra gastos de R$ 347 mil em menos de 3 meses

spot_img

Em quase três meses, entre março, abril e parte de maio deste ano, no meio da pandemia do novo coronavírus no país e com as sessões plenárias da Câmara dos Deputados sendo realizadas de forma remota, os oito deputados federais do Amazonas gastaram, juntos, R$ 347.272,85 da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap), mais conhecida como “cotão”.

Os gastos são, em sua maioria, com telefonia, aluguel de carros, combustível, manutenção de escritório, divulgação de atividade parlamentar e até aluguel de aeronaves.

O deputado delegado Pablo (PSL) se destaca entre os que mais lançou mão do cotão neste período, com gastos que somam R$ 65.812,19. Segundo dados do Portal da Transparência da Câmara dos Deputados, em março, Pablo gastou R$ 19.197,34, sendo R$ 10 mil em consultoria, pesquisas e trabalhos técnicos, seguido de R$ 5,1 mil para manter o escritório de apoio.

Já no mês de abril, o deputado quase dobrou o volume de gastos. Ele usou um total de R$ 31.181,39, em que quase 50% foi direcionado na divulgação da atividade parlamentar (R$ 15 mil) e outros R$ 10 mil com consultoria e trabalhos técnicos. Neste mês de maio, conforme o site da Câmara, Pablo declarou ter gasto R$ 15.433,46 até o momento.

O deputado José Ricardo (PT) é o segundo parlamentar com mais gastos no período. Ele usou um total de R$ 65.120,86 da cota parlamentar.

No mês de março, José Ricardo usou R$ 41.552,27. Sendo que R$ 7.461,13 foi para manter escritório de apoio à atividade parlamentar, R$ 5.800 em combustíveis e lubrificantes para veículos e R$ 21.300 na divulgação da sua atividade parlamentar.

No mês de abril, José Ricardo reduziu os gastos, ele usou R$ 23.568,59. Nesse mês, o maior investimento foi feito na divulgação da atividade parlamentar, cerca de R$ 13.500 e o segundo maior investimento foi para manter escritório de apoio, onde pagou R$ 6.099,69.

O terceiro parlamentar que mais usou a cota foi o deputado Marcelo Ramos (PL), um total de R$ 61.512,09 até o momento. No mês de março, o deputado usou R$ 38.464,93 da cota. O maior volume de verba foi gasto em serviço de consultoria, pesquisas e trabalhos técnicos, no qual o parlamentar investiu R$ 14 mil e R$ 8.161, 25 em divulgação da atividade parlamentar.

Já no mês de abril, Ramos gastou R$ 23.047,16. Nesse mês, a maior parte dos recursos foram usados para bancar serviços de consultoria e trabalhos técnicos, um total de R$ 6 mil, e R$ 5.800 na divulgação da atividade parlamentar.

O quarto no ranking é o deputado capitão Alberto Neto (Republicanos). Nos meses de março, abril e maio, o parlamentar gastou R$ 60.793,73 do cotão. Em março, foram cerca de R$ 34.534,32 e nesse mês ele desembolsou R$ 27.860,00 para divulgação da atividade parlamentar.

Já no mês de abril, Alberto Neto reduziu significativamente os gastos do cotão, registrando apenas 1.752,48 de custo. O maior valor pago foi em telefonia R$ 1.573,34, R$ 17,29 em manutenção de escritório de atividade parlamentar e R$ 161,85 em serviços postais.

Neste mês de maio (que ainda não acabou), os gastos de Alberto Neto voltaram a subir: até o momento, os gastos lançados foram da ordem de R$ 24.506,93, mais da metade destes recursos foram investidos na divulgação de seu mandato.

O deputado Silas Câmara (Republicanos) também segue na lista dos que mais gastaram: R$ 44.913,22 entre março e a primeira quinzena deste mês.

No mês de abril, foram R$ 17.867,34. Sendo R$ 12.248,95 em divulgação da sua atividade e R$ 1.450,70 em telefonia. Já no mês de abril, o deputado aumentou os gastos do cotão. Foram, no total, 27.045,88. Desse montante, R$ 27.045,88 foram destinados a pagar pela divulgação da atividade parlamentar.

Aeronave

Átila Lins, do PP, usou R$ 26.909,62 nos meses de março, abril e maio. No mês de março, o parlamentar fretou até uma aeronave por R$ 21.500, pagou R$ 1.995,85 em serviços de telefonia e R$ 29,52 em serviços postais.

Em abril, foram R$ 1.982,72 em telefonia e R$ 1.401,53 em maio, sendo 1.320,72 em telefonia e R$ 80,78 em serviços postais.

‘Gastos modestos’

Entre março e abril, o deputado federal Bosco Saraiva (Solidariedade) usou R$ 19.217,47 da cota. No mês de março, foram R$ 11.993,39, sendo que a maior parte desse valor foram para a manutenção de escritório de apoio, cerca de R$ 7.040,33 e o segundo maior gasto foi com locação ou fretamento de veículos, um total de 3.800,00.

Já em abril, os gastos foram menores: R$ 7.224,08, onde R$ 5.357 foram para a manutenção do escritório de apoio; R$ 899,61 em telefonia e R$ 966,68 em serviços postais. Os gastos do mês de maio do deputado ainda não foram lançados.

Na contramão de todos os demais parlamentares, no mês de março e abril, o deputado Sidney Leite usou apenas R$ 2.993,67. Em março, foram R$ 2.518,03, sendo R$ 2 em telefonia, R$ 1.298,46 em combustíveis e lubrificantes e R$ 1.217,57 em passagens aéreas. E no mês de abril, o deputado gastou menos ainda: R$ 415,64 com serviços postais.

Os gastos do mês de maio do deputado Sidney Leite ainda não foram lançados no site da Câmara dos Deputados.

 

 

Álik Menezes, para O Poder

Foto: Divulgação

Últimas Notícias

“Devemos passar uma borracha no passado” diz Bolsonaro em ato.

Lideranças da direita brasileira e os apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro, que é investigado por tentativa de golpe entre...

Mais artigos como este

error: Conteúdo protegido!!